A PANDEMIA DO COVID-19

 


A PANDEMIA DO COVID-19

 

Em 2020 vivemos uma situação difícil em todo o nosso planeta. Com a pandemia do vírus Covid 19 se espalhando rapidamente e pessoas morrendo em toda parte, vivemos momentos de muito medo e insegurança. Mas a pergunta aqui é: o que a Psicologia pode contribuir diante dessa situação?

Ainda não havia me manifestado diante da situação do Covid 19, e aguardava ansiosa para postar algo que fizesse realmente a diferença diante de toda essa situação. Mas agora sei que tudo o que já passamos até o momento é apenas a ponta do Iceberg, e que os problemas atuais e futuros envolvendo a saúde mental da humanidade estão apenas começando. Então, não sei esse texto ajudará muitas pessoas. Mas espero realmente que minhas palavras faça diferença em sua vida.

O ano de 2020 será lembrado em todos os livros de história, em todos os países do mundo. É que esse foi um ano diferente de todos os outros, e todo o planeta parou diante de um vírus. Como espécie dominante no planeta até então, a humanidade nunca se viu tão amedrontada, nem mesmo em histórias de pandemias anteriores.

            Sim, já houveram pandemias anteriores, também assustadoras e mortais. Mas o terror causado pelo Corona Vírus (Covid 19) alcançou um patamar inimaginável, e em meio ao luto das famílias que perderam seus entes queridos, muitos viveram a expectativa de serem os próximos a serem sepultados.

            E acredito que o maior vilão de todo esse pânico coletivo seja justamente o que permite que você leia esse texto agora: a Internet. Claro que o vírus é perigoso e mortal, e sim, deixou muitas vítimas fatais e com sequelas permanentes em todo o mundo. Mas a internet, que deveria somente informar e auxiliar, trouxe uma enxurrada de notícias falsas (Fake News) que se misturaram às notícias informativas e confundiram a maior parte da população. E ainda plantou o terror diante de uma situação já caótica, o que levou milhares de pessoas ao desespero.

            Mas o que falar sobre a saúde mental diante dessa situação? E onde a Psicologia entra nesse história?

            Tenho recebido uma demanda crescente de pacientes pós Covid, ou seja, pessoas que contraíram o vírus e desenvolveram crises de ansiedade e/ou crises de pânico, misturadas às crises depressivas iniciadas ou agravadas. E também pessoas com os mesmos sintomas, mas que não contraíram o vírus e vivem na expectativa de um resultado positivo a qualquer momento.

            Apesar de essas serem as demandas mais crescentes nos consultórios psicológicos, também estão surgindo casos de luto, de pessoas que não puderam velar seus mortos. E de familiares que passaram pelo processo de acompanhamento hospitalar e que viveram toda a ansiedade de não poderem ver o doente e esperar apenas por uma notícia diária, que nem sempre trazia esperança. E mesmo que o familiar tenha se recuperado e retornado para casa, a ansiedade anterior permanece e o número de pessoas em crises ansiosas aumenta a cada dia.

            E ainda temos as pessoas que já apresentavam problemas anteriores envolvendo a saúde mental, e que tiveram seus casos agravados. O índice de suicídio tem previsões de aumento, o de consumo de álcool e outras drogas também. Muitos pacientes mais graves, que estavam estabilizados, necessitaram de cuidados imediatos devido às crises ansiosas. Muitos outros transtornos se agravaram, como os transtornos alimentares por exemplo, que estão fora de controle durante essa pandemia.

Temos ainda outras situações que despertam um alerta para possíveis problemas futuros envolvendo a saúde mental. Muitas famílias de separaram por não conseguirem conviver no isolamento social. As crianças estão mais dependentes da Internet do que nunca e ainda não sabemos quais serão as consequências desse comportamento nas gerações futuras. Muitas pessoas estão desempregadas e não sabem como irão sobreviver. A humanidade está carente de afeto e de abraços, e nossas crianças estão crescendo sem aprender a sorrir, já que todos estão de máscara.

Eu poderia ficar aqui enumerando mais uma porção de situações observadas durante a pandemia. Mas o que eu venho aqui pra falar são palavras de esperança. Porque sim, eu tenho esperança em dias melhores e na possibilidade de vencermos tudo isso.

Somos seres inteligentes, e nesse momento, mais do que nunca, precisamos uns dos outros. Precisamos de pessoas gentis que, mesmo de máscara, sorriem com os olhos. Precisamos de pessoas com braços fortes e boa vontade para ajudar os idosos e os doentes crônicos, que não podem se arriscar fora de casa. Precisamos de empatia para se sensibilizar com a dor do outro e se colocar à disposição daquele mais frágil. Precisamos estar atentos e perceber que aqueles que convivem conosco precisam da nossa ajuda.

Mas, o que realmente precisamos é ser mais humanos se quisermos continuar como espécie dominante no planeta, porque um vírus invisível nos mostrou que pode nos derrotar. Mas esses seres parasitas só irão conseguir nos vencer se não estivermos unidos e preparados para nos apoiar mutualmente.

Porque de agora em diante, mesmo que o vírus esteja sobre controle com a tão sonhada vacina, precisaremos uns dos outros para apoiar aqueles que tiveram sua saúde mental comprometida. E mais do que nunca precisaremos de abraços e sorrisos.

A Psicologia é uma ciência e está preparada para ajudar nesse momento delicado em que vivemos. Nós, profissionais da saúde mental, nos capacitamos enquanto o mundo se desesperava. Mantivemos a calma e nos preparamos para o que viria. Aprimoramos nossos conhecimentos para auxiliar nesse que será o momento mais difícil da pandemia: as sequelas psíquicas do pós Covid. Estamos preparados para ajudar a todos, mas é preciso deixar de lado o medo, o preconceito e a indiferença. Afinal, o cérebro faz parte do corpo e também adoece. E tudo bem não estar bem. Podemos ajudar você.

Se precisar, procure ajuda profissional. Esteja atento e ajude seus familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, etc. Observe quem está sempre ao seu lado e procure ajuda se observar mudanças repentinas de comportamento. As doenças mentais necessitam de ajuda imediata, sem preconceitos, de forma preventiva e humanizada. Assim, todos nós sairemos dessa situação de pandemia e poderemos seguir em frente fazendo o que nossos antepassados sempre fizeram com excelência: seremos verdadeiramente humanos.

Obrigada por estar aqui!

Você faz parte dessa história!

Érica Lopes


Comentários