EDUCANDO UM BEBÊ

EDUCANDO UM BEBÊ Hoje em dia vivemos momentos de muita ansiedade, e nem nos damos conta de como aproveitamos o nosso tempo. E isso fica ainda mais intenso quando se tem a incrível tarefa de educar um bebê. Isso mesmo: Educar! Já nos primeiros momentos de vida (ainda no ventre, após a formação dos primeiros neurônios cerebrais) o ser humano começa a aprender. E esse aprendizado dispara logo após o nascimento, com a chuva de estímulos ao redor do bebê. E nesse momento os pais já estão educando. Mesmo que não saibam disso. Educar um bebê não é uma tarefa fácil. Em cada fase do seu desenvolvimento esse pequeno ser necessita de direcionamento e estímulos corretos para que haja um aprendizado correto. Por exemplo: estímulos excessivos atrapalham, e muito. Muitos adultos nem percebem, mas acabam estressando seus bebês com uma chuva de estímulos. Sei que a intenção sempre é boa, e que os pais querem que seus filhos sejam inteligentes e espertos. Muitos acabam deixando os bebês expostos à tecnologia de forma excessiva apenas para “distrair”. Mas será que isso é eficiente? Um bebê pequeno precisa mesmo é de carinho, alimento e descanso. Porque o mundo já tem informações demais ao seu redor e ele está tentando se adaptar a tudo isso. E sim, pensar cansa! E como cansa... Já ao nascer o pequeno precisa se adaptar aos sons, às luzes, aos cheiros. São novas sensações com o banho, com as trocas, com o tato, com a alimentação. Tem que aprender a pedir alimento e conviver com as primeiras dores intestinais. Tem que aprender a regular a temperatura corporal e mais uma infinidade de novos comandos de sobrevivência. Sem contar com as visitas, que é um tal de tirar do berço e interromper o sono; Nada disso existia no ventre. Esse lindo bebê está mesmo interessado é no cheiro e no aconchego da mãe. E é claro, na alimentação. E depois de tudo isso, uma soneca, só pra variar. Eu entendo que toda a família queira segurar, tirar fotos e mimar esse bebê, mas tudo isso é cansativo demais para ele. Então, deixem esses momentos para quando o bebê já estiver acordado. Assim, ele ficará mais calmo e estará aprendendo que a conviver socialmente sem estresse. Até porque, nem você gostaria de ser incomodado enquanto dorme, não é mesmo? Após esse primeiro momento, vem os novos aprendizados que são o reconhecimento do espaço, das pessoas ao seu redor, das vozes e das expressões faciais. São tantas coisas para aprender. E é claro, tudo isso cansa muito e o bebê precisa de muitas horas de descanso. Por isso os bebê dormem muito. E sua alimentação se torna um pouco mais eficiente, para alegria dos pais. E de acordo com o crescimento, o bebê começa a interagir com o mundo. Começa a sorrir para as pessoas, a soltar sons, a rolar na cama, a curtir o banho. Ela curte mamar e olhar para o adulto. Gosta de experimentar o toque e inicia o uso das mãozinhas. Gosta de coisas coloridas e de sons não muito altos. E amam a presença de outras crianças. Mas não pais! Ainda não é hora de colocar vídeos no tablet, ainda que a criança se distraia e pareça gostar. Esse tipo de estímulo não é eficiente nesse momento, e acaba deixando a criança confusa e ansiosa. Sei que hoje em dia há muitos aplicativos para bebês, mas deixe esses estímulos para quando a criança puder realmente apreciá-los. E assim que o bebê vai crescendo, novos estímulos vão se apresentando. Ele começa a interagir e a apreciar os passeios. Mas ainda não é tempo para tecnologias. A não ser as lindas fotos da família que serão postadas na rede, é claro. Conforme o bebê vai crescendo ele vai aprendendo a explorar o ambiente à sua volta. Começa a reconhecer toda a família. Começa a experimentar alimentos, sentar-se à mesa, pegar brinquedos e explorar. É nesse momento que a criança pega o objeto e joga no chão uma infinidade de vezes. E sim, isso também é importante para se trabalhara a coordenação viso-motora. E o bebê já começa a entender algumas coisas da TV, já que é o objeto familiar mais comum. Nesse momento, eles curtem alguns desenhos e músicas, mas não se deve deixar expostos por muito tempo, porque os estímulos são muitos e perturbam principalmente o sono do bebê. E quando o pequeno começa a explorar a casa, engatinhando e arriscando os primeiros passos segurando no sofá, ele estará aprendendo a buscar pelo estímulo que lhe atrai. E nessa hora, quando você diz não, ele já ensaia as primeiras tentativas de birras. Mas como não consegue manter o pensamento focado por muito tempo, tirar o objeto ou a criança do ambiente pode ser uma boa estratégia para evitar que ela aprenda a “ganhar no grito”. O ideal é distrair a criança com outro estímulo. E assim, o bebê vai crescendo e se desenvolvendo. No primeiro ano de vida ele aprende uma infinidade de coisas. E ter pais preparados para ajudá-lo nesse aprendizado pode ser essencial para a formação saudável de sua personalidade. Como você viu, a educação de um bebê pode e deve começar desde o primeiro momento. Esses cuidados com a educação do bebê são essenciais para se criar os vínculos afetivos da criança e apresentar o mundo a ela como um lindo lugar para se viver. Procure um Psicólogo Infantil para orientá-lo quanto ao desenvolvimento do seu bebê. A saúde mental é tão importante quanto à saúde do corpo.




#informação #psicologia #psicopedagogia #família #mães #pais #filhos #educação #aprendizagem #desenvolvimento #psicóloga #psicopedagoga #psicologiapositiva #neuropsicologia #desenvolvimentocerebral #psicoterapia #psicologiaescolar #psicologiaevida #amopsicologia #desenvolvimentoinfantil #psicologiadodesenvolvimento #bebê

Comentários