A CHEGADA DA MAJESTADE

A CHEGADA DA MAJESTADE Parece um sonho! Depois de nove meses esperando pela chegada do bebê, esse é sem dúvida o dia mais emocionante de uma mãe. Levar o bebê para casa! E é mesmo uma Majestade! Tudo gira em torno do novo bebê. Toda a família se desdobra e se anula para que o recém-nascido possa ocupar seu espaço. E os irmãos são os que mais sofrem. Mas esse assunto falaremos em outra ocasião. Esse texto fala sobre a chegada do bebê da maternidade. Um momento único, cheio de felicidade. Mas, espera aí? E o que fazer agora? E se eu não acordar? E se eu não conseguir alimentá-lo? E se ele chorar? Como vou dar banho? Como recebo as visitas? Como? Onde? Por que????? É mesmo uma chuva de perguntas! E é de se esperar, principalmente quando se trata do primeiro filho. Embora a mãe tenha se preparado durante todos os nove meses para esse momento, a sensação vivida por ela ao sair do hospital é quase surreal. Porque é tudo maravilhoso, mas ao mesmo tempo assustador. E os desafios já começam na porta, ao colocar o frágil bebê na cadeirinha do carro. E a cada obstáculo uma olhada para trás, só pra ter certeza de que está tudo bem. Uma dica é testar a cadeirinha com uma boneca antes, para se certificar de que o cinto está adequadamente colocado e de que a criança estará mesmo na posição correta. E não se esqueça de revisar e abastecer o carro, principalmente se o caminho de retorno for longo. Ao chegar em casa, antes de abrir a porta, respire bem fundo e se prepare para novo convívio familiar com o bebê. A Majestade chegou! Apesar de emocionante, a novidade muitas vezes é assustadora. Aqui vão algumas dicas bem legais de como passar por essa nova fase sem pânico: 1ª. Dica: Prepare o castelo para a chegada da Majestade! Quando se pensa em preparação para a chegada do bebê, logo vem à mente a arrumação do quartinho, das roupinhas, das prateleiras e dos utensílios. Claro que todos esses itens são muito importantes! Mas não são os únicos itens a se observar. É necessário que toda a casa esteja pronta para esse dia. E principalmente os lugares comuns da casa, aonde todo o restante da família irá se abrigar. Se for possível, retire os obstáculos para a circulação do bebê. É necessário andar com o carrinho pela casa e verificar seu deslocamento. Também é interessante colocar assentos extras na sala para as visitas que virão. Assim, não precisará pedir ao seus filhos para sair da sala. Se você tiver filhos ainda pequenos, é interessante pedir a ele que ajude você a receber os presentes e abri-los. Dessa forma, eles não sentirão muito ciúmes do irmãozinho (ou da irmãzinha). E se for um brinquedo, deixe que ele explore e brinque com ele. Seu bebê ainda demorará muito para poder brincar com. E se estragar, nem a visita e nem o bebê precisarão saber desse segredinho...rsrs. É bom se preocupar também com você mesmo. Deixe suas coisas à mão, em locais acessíveis, sem precisar abaixar ou se esticar muito para pegar. Lembre-se que estará fragilizada após o parto. Separe as roupas mais confortáveis e as que usará com mais frequência e deixe mais à frente, para que você ou outra pessoa possa pegar com facilidade. E no banheiro também é preciso mudanças. Deixe seus utensílios (shampoo, condicionador, creme, etc.) também de fácil acesso. Se possível, retire tapetes escorregadios. E deixe mais toalhas à disposição, caso precise. Seus outros filhos precisarão de atividades extras e de pessoas para ajudarem. Deixe livros, desenhos para colorir, DVDs, brinquedos novos que auxiliem na concentração, comidas de fácil acesso, roupas fáceis de vestir. Tudo isso facilitará sua nova jornada com o bebê, que precisará muito da sua atenção. E você precisará de um tempo para descansar, afinal, um parto é coisa séria, e a mãe também precisa de atenção. 2ª. Dica: Prepare as pessoas ao seu redor! Pode parecer mentira, mas muitas pessoas mais atrapalham do que ajudam. E geralmente são as que mais demoram na visita....rsrs. Bem, brincadeiras à parte, mas é preciso se preparar para receber as visitas. Porque os maridos até que se esforçam, mas se sentem desconfortáveis com tamanha invasão de privacidade. E você não estará em condições de assumir o papel de anfitriã. Esteja cercada de pessoas disponíveis. Se não houver mãe ou irmã por perto, por exemplo, pode ser uma enfermeira ou uma secretária. Mas é preciso que haja sintonia nesse momento, porque não é bom que você se estresse, não é mesmo. Converse antes sobre o que gosta e sobre o que espera de cada pessoa. Assim, não haverá desencontros e brigas desnecessárias. É interessante também deixar lanches rápidos, desses do tipo que vão ao forno ou ao microondas. E também bebidas rápidas, já geladas. Assim, você não se preocupará com o que servir para as visitas. E se prepare! As visitas sempre veem! Estabeleça limites claros do que você gosta e do que você permite. E não precisa ser indelicada para dar a mensagem. Sorria, seja gentil e fale o que deseja, ou que está invadindo. As pessoas não são obrigadas a adivinhar seus pensamentos. 3ª. Dica: Prepare-se internamente! Muitas mães relatam a invasão de privacidade como o maior problema vivido nessa fase. A maternidade é mesmo uma confusão de pensamentos. E enquanto você está se perguntando se está tudo certo, se está sendo uma boa mãe para seu bebê, tem uma porção de pessoas chegando, cheias de conselhos e dicas. E tudo vira de “pernas pro ar” dentro dos seus pensamentos. Então, a dica é: prepare-se internamente! Aprenda a ouvir. Já pensou que algumas dicas podem até ser boas mesmo? Como essas que estou te passando agora? Você pode ouvir e depois discernir se são válidas ou não. E não precisa ser indelicada. Apenas sorria. Claro que você não vai sair por aí seguindo todos os conselhos que ouve. Mas também não precisa se indispor com a cunhada por causa de um conselho. Ouça, agradeça, e depois, sozinha, você saberá se essa dica é valida ou não. E aprenda a tirar um tempo pra você. Mesmo que isso pareça impossível nessa fase, se esse for um propósito seu e se você se organizar com antecedência, conseguirá um tempo de reflexão e organização mental. Porque o pós-parto trás consigo um turbilhão de emoções. Principalmente se for o primeiro filho. A sensação sentida pela mãe que acabou de se separar fisicamente do filho é mesmo assustadora. Lá dentro ele estava protegido, tudo sobre controle. Agora, não se sabe se ele está com fome, com frio, com medo, ou simplesmente está respirando. É mesmo um momento de muita fragilidade emocional. Então, prepare-se! Aprenda técnicas de relaxamento e de respiração. Leia livros relaxantes, coloque sua música favorita, organize seu quarto para se sentir confortável, converse com seu marido. Estas e outras dicas podem ajudar você a se distrair um pouco e relaxar. E lembre-se: mãe calmas costumam ter bebês calmos também. Se precisar, procure um profissional da Psicologia para lhe orientar. Há muitas pessoas que fazem trabalhos incríveis com gestantes. 4ª. Dica: Prepare seus conhecimentos! É completamente normal uma mãe sair confusa do hospital. Afinal, todo o processo do parto é invasivo. E a volta para a casa, com todas as suas dificuldades próprias, ainda conta com cuidados com a saúde da mãe. Pontos, vertigens, náuseas, irritação, choro, ansiedade, entre outros. São tantas coisas com o que se preocupar e ainda por cima é preciso se preocupar com a própria saúde. Não parece nada fácil, não é mesmo? Por isso é importante que a mãe prepare seus conhecimentos. Leia sobre o pós-parto e pergunte tudo ao seu médico ainda no pré-natal. Essa é uma dica de ouro para que a mãe não entre em pânico. É que na verdade, há uma infinidade de perguntas e nem sempre a mãe se lembrará de todas as respostas. Aqui, a dica é anotar em um caderno pequeno e de fácil acesso. Assim, a mãe poderá buscar respostas rápidas sem precisar ligar várias vezes para o médico e ouvir: - “falamos sobre isso, lembra?”. Não, nesse momento, a mãe não lembra! Uma outra dica importante é ter à mão o telefone de um bom pediatra. Porque durante o pré-natal fala-se muito sobre a gravidez e o parto. Mas nunca há uma consulta com o pediatra, porque a criança ainda está dentro da mãe. E as mães não sabem muito sobre os cuidados com o bebê. E se for possível, escolha o pediatra com antecedência e agende uma consulta para saber sobre os primeiros cuidados com o recém-nascido. Claro que isso não cabe às mães que já tem outros filhos, porque já possuem um pediatra de confiança, não é mesmo? E nunca se esqueça de que pode contar com a internet, que hoje é uma importante ferramenta que está sempre à mão. E não despreze os bons conselhos. Medite sobre eles e tire as dúvidas na próxima consulta. 5ª. Dica: Prepare-se fisicamente! Hoje em dia essa dica já é bem difundida entre as gestantes. Mas nunca é demais alertar. E não é apenas por causa da estética. É que o preparo físico ajudará na recuperação da mãe no pós-parto. Sem falar nos problemas de saúde, como a diabetes gestacional, a hipertensão, etc. E quando a mãe volta da maternidade, ainda sente muito desconforto e é preciso um tempo até a retomada das atividades físicas. Muitas mães reclamam de dores nas articulações, nos músculos e nos ossos. É que o período de gestação fica bem complicado no final, e aquelas que se prepararam conseguem passar por tudo isso sem grandes consequências. Leva mesmo um tempo para a recuperação, mesmo para as mais atletas. Mas a dica de preparação física é válida sim. Então, nada de desânimo. Comece imediatamente uma atividade física. E ainda, não se descuide da sua alimentação! É importante tanto na gravidez como no pós-parto. Uma dieta equilibrada te ajudará em todo o processo e sua recuperação será muito mais eficiente. E não se esqueça da ingestão de líquidos viu. 6ª. Dica: Prepare-se Humanamente! Pode parecer uma dica inútil, mas é importante que a mãe esteja consciente da sua humanidade. E que ela não tem nenhum super poder para fazer tudo sozinha e não se abalar. Se tiver vontade de chorar, chore. Se tiver vontade de gritar, grite. Se tiver vontade de comer, coma. E se quiser pedir silêncio, peça. Mas não se cale e nem se prive de viver. Mas lembre-se que isso não lhe dá o direito de se descuidar da educação. Ser gentil é sempre muito importante! É um turbilhão de emoções e hormônios fervendo dentro de você. E ainda há um novo ser muito frágil esperando pelos seus cuidados. Seja humana e sinta-se humana. A mãe não é obrigada a estar linda e bem disposta para receber as visitas. A mãe pode sim dormir durante o dia e jantar de madrugada. A mãe pode ter o seu cabelo amarrado e as suas roupas não precisam estar impecáveis, e ainda, sua pia pode sim estar cheia de louças esperando pra mais tarde. Ser mãe é mentalmente e fisicamente desgastante. Principalmente se for o primeiro filho. Haverá momentos de completa loucura e outros de total calmaria. E é completamente normal pedir ajuda. Mas não se esqueça: depressão pós-parto não é brincadeira! Se sentir necessidade, não hesite em pedir ajuda profissional. Afinal, toda mãe é apenas uma pessoa humana.







#informação #psicologia #psicopedagogia #família #mães #pais #filhos #educação #aprendizagem #desenvolvimento #psicóloga #psicopedagoga #psicologiapositiva #neuropsicologia #desenvolvimentocerebral #psicoterapia #psicologiaescolar #psicologiaevida #amopsicologia #desenvolvimentoinfantil #psicologiadodesenvolvimento #bebê

Comentários